Meus vinte e poucos anos
Vinte e poucos anos

Meus vinte e poucos anos

novembro 12, 2015

Ah, aquela vontade de crescer. É engraçado como vivemos certas fases da nossa vida. Ciclos viciosos, eu diria. Somos crianças felizes e despreocupadas, me recordo de tarde inteiras, tipo INTEIRAS, brincando de luta em mundos fantasiosos com criaturas abstratas – meus travesseiros -, era algo incansável, sabe? Ou então horas a fio travando duelos para salvar o mundo com meus bonecos dentro das bacias ou do tanque da minha avó. Eu nem alcança o tanque, tinha que subir em uma cadeira e ficar curvado e escorado sobre ele. Isso quando não amarrava os bonecos em sacolas como paraquedas e ativa-os com estilingue para ver cair vagarosamente… Mas essas porras sempre enroscavam nas árvores.

Acredito não ter sido uma criança problemática, sempre fui na minha, retraído até. Gostava de ficar no meu mundo, isolado mesmo, nem ligava. Curti sempre um bom video game, e desenhos… sem palavras.

Mas é como uma maldição, não demora para chegar aquele momento, complicado (?), pelo que todos passamos, a adolescência. Tudo sai dos eixos, certas coisas deixam de fazer sentido e outras se tornam cada vez mais obsoletas. Passamos a ver o mundo de maneira extremamente diferente e é a fase onde paramos de dar murros na ponta do prego, e começamos a bater com a cabeça na ponta da FACA! É, vocês sabem do que estou falando. Aquele período em que o que tu mais quer é que seus 18 anos chegue e tu possa ir pra balada, fumar e beber sem ter que ouvir alguém te dar esporro por ser menor de idade. Oh céus, oh vida.

Sinceramente, tive uma adolescência com detalhes opostos a infância, me tornei expressivo, extremista, usei drogas que hoje em dia não se conhece mais e cavei, não uma mas várias, covas profundas. Mas, foi o momento, e passou – felizmente – tudo tão rápido. E então chegou os 20.

Bom, na vida tudo tem seu preço e seu valor… E quero saber bem mais que os meus vinte e poucos anos, sim! Os vinte vem carregado de uma necessidade esquisita de responsabilidade, tu acha que ela é uma merda, mas quando deixa de ter uma, se coça para conquistar… Sabe como? É como se sua mente e corpo te obrigassem a ter responsabilidades – okay, há idiotas que nunca crescem, mas -, compreende?

Meus vinte e poucos anos tem sido intensos. Apesar do ritmo estar menos frenético do que antes, acredito que entramos nos vinte para nos acalmarmos, pararmos para respirar e olhar o horizonte, e por fim pensar:

“Caralho, e agora?”

 Faculdade, trabalho, família, namoro, contas, tretas, vidalokavixi. O pau tora, e não adianta chorar, é crescer e encarar o mundo ou tornar-se apenas mais um largado… Amg, não rola, né, se veio ao mundo, que seja pra vencer e ser o melhor no que puder.

Acho que só queria desabafar um pouco, estive pensando muito nisso nos últimos dias, principalmente com os bloqueios que estou tendo para escrever e tal, tenho pintado muito, mas meus livros estão parados e estou me deprimindo. Não, não vou desistir, mas estou agoniado de não saber o que fazer. Mas enquanto isso não flui, vou focando no resto, estou montando meu colaborativo e já tem identidade visual, logo vai pro site, se chama ‘Le Hype‘, e acredito que ainda será uma boa agência de comunicação. Também estou com alguns projetos, quem me conhece sabe como sou, os demais, vão se acostumando <3 rs

Não quero tocar nesses assuntos a fundo agora, esse é um ‘Welcome‘ ao novo velho blog, vamos com calma.

Como sempre, agradeço a atenção de vocês, delícias <3 
Conversamos mais em breve, e qualquer coisa, sabem onde me encontrar!

xoxo

You Might Also Like

10 Comments

  • Reply Mry novembro 14, 2015 at 4:06 am

    Ôôôô moço, que post bonito!

    Os 20 anos são uma loucura mesmo, no meu caso só tenho a faculdade, mas tenho sentido essa necessidade por mais responsabilidades ao mesmo tempo que a aversão a me sobrecarregar de trabalhos me consome, UHAUHAHUA. É complicado mesmo.

    Acho que quando adolescente, a gente faz muita cagada mesmo. Euzinha fiz muita coisa naquela época, coisas das quais eu me arrependo, mas eu me perdoo porque, no fim das contas, serviu de aprendizado e agora eu sei minha lição, hihi.

    E ow, não fica se deprimindo não. Eu sei que é difícil lutar contra, eu mesma vivo tendo que usar todas as minhas forças pra manter a depressão longe, mas faça o possível pra se manter bem. Pelo pouco que sei sobre ti, acredito que tu seja uma pessoa maravilhosa que merece tudo de bom. ♥

    Beijinhos.

    • Reply Albuquerque novembro 16, 2015 at 2:10 pm

      Oi Mry, obrigado pelo comentário.

      Então, os 20 derrubam mesmo, e a adolescência é pra isso, pra fazer merda hehe É nossa fase ‘neutra’ quase.
      Eu vou me manter firme, pode deixar e obrigado pelas belas palavras <3

      Até mais 😀

  • Reply Djn novembro 15, 2015 at 10:56 pm

    O seu jeito de escrever? Nunca vi igual
    O seu modo de se expressar? Nunca vi igual

    Esse seu blog é um dos poucos que eu realmente vejo o interesse de ficar diariamente visitando para vê se tem alguma novidade, nunca tinha ouvido falar no teu blog, mas de tanto eu visitar um blog atrás do outro em busca de novidade e afim de mostrar o meu, cheguei ao seu.

    Todos nós temos aquela vontade filha da puta de crescer, de arrumar um relacionamento, perder a virgindade e se sentir adulto, se sentir livre… Nossa vida é como um jogo, quanto mais lvl a gente ganha mais difícil fica jogar, mas depois que pega a manha é uma maravilha.

    Estou perto dos 20 e me sinto como se estivesse perdendo tempo, a cada dia, a cada segundo, quero fazer milhões de coisas ao mesmo tempo para que eu consiga conquista os meus objetivos e vencer na vida, crescer é duro.

    Mas enfimmmm, seu blog é maravilhoso e você está de Parabéns, você é um artista bem foda! 😉

    http://ishnualah.blogspot.com/

    • Reply Albuquerque novembro 16, 2015 at 3:02 pm

      Olá Djn!

      Obrigado por essas palavras <3

      De fato os 20 são um pouco complicados, mas é uma fase também e com força e persistência passamos rs Tu vai ver 😀

      E o blog existia a mais tempo, apenas mudei de site e domínio, um recomeço, enfim espero que possa acompanhar.

      Obrigado pela visita <3

  • Reply hellz novembro 17, 2015 at 4:40 am

    dei uma sumidinha mas tô de volta por aqui!

    então… eu também fui dessas crianças que não fazia a mínima questão de crescer. Depois que a escola acaba, a vida vira uma treta constante e os problemas só tendem a aumentar. Ser adulto é ridículo e eu me recuso a chegar nesse estágio HAHAHA

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    • Reply chilligrr janeiro 10, 2016 at 5:01 pm

      Ey hellz! Eu tb vou e volto, sem estresse rs.

      Né, avisem as crianças, ser adulto é sabotagem da vida rs

      <3

  • Reply Brendha Cardoso novembro 18, 2015 at 11:25 pm

    Eu gostei tanto desse post. Me identifiquei pra caramba.
    Quando a gente é criança, nossa, só alegrias. Sinto um pouco de falta de como as coisas eram simples. Os maiores problemas eram decidir com qual brinquedo iria brincar depois ou qual desenho assistir antes de ir pro colégio. Saudades.

    Essa fase da adolescência é uma das piores, pra mim. Foi um saco. Todas as dúvidas e aquela incerteza do meu lugar no mundo.

    Agora, com vinte, tenho uma cabeça e algumas ideias que espero conseguir concretizar. É claro que às vezes as responsabilidades parecem demais, mas a gente sempre dá conta.

    Amei o post.

    • Reply chilligrr janeiro 10, 2016 at 5:02 pm

      Oie Brendha!

      Ninguém pede pra crescer 🙁 cadê o botão de restart na vida 😮
      Mas até que ser adulto tem lá suas vantagens, o problemas é administrar o mundo do tamanho que é.

      Obrigado pela visita <3

  • Reply Misa Palahniuk março 18, 2016 at 5:40 pm

    Estou com vinte anos, parece que foi ontem que eu tinha 17, amanhã já terei trinta.
    Como eu queria voltar no tempo, se eu pudesse, viveria eternamente com meus 15 anos.

    • Reply ALBQRQ março 27, 2016 at 5:18 am

      IWDHIUQWHDIQHUQWD não pensa assim que dá bad

      Mas é fato, pra falar a real eu ficaria feliz passando a eternidade nos 6 anos ^^

    Leave a Reply

    Translate »